terça-feira, 24 de junho de 2008

As Cosmicômicas

É simplesmente uma ficção científica que se desenrola em um passado tão obscuro, mas tão obscuro, onde poucas estrelas despertaram em todo seu esplendor, onde o vácuo predomina toda a imensidão do universo e onde milênios passam como se fossem minutos. Somado a este mundo estão romances lunares, famílias que habitam uma nebulosa, um dinossauro que se adapta em uma vila de humanos em plena extinção de sua espécie, um mundo completamente sem cores e um herói com um nome impossível de ser pronunciado. Assustados? Confusos? Eu também fiquei ao ler basicamente esse resumo sobre essa maravilhosa obra do escritor italiano Ítalo Calvino.

As Cosmicômicas, como já disse, é um livro muito excêntrico, acho que é diferente de tudo que já li. Impossível dizer se ele é realismo fantástico, fantasia ou simplesmente ficção científica; os doze contos, independentes entre si, formam uma história muito superior a qualquer tentativa de classificação. O tema central do livro é a origem do universo e o desenvolvimento dos primeiros seres terrestres (e cósmicos, pois muitos personagens vivem no universo, antes mesmo da criação de qualquer planeta ou galáxia). O herói se chama Qfwfq, ele acaba por fazer o papel de narrador e protagonista, sendo na pele de um único ponto ou de um membro dos primeiros vertebrados terrestres. É interessante ver que o tempo é insignificante no decorrer das histórias, enquanto Qfwfq torna-se uma mera testemunha ocular das teorias científicas e antropomórficas do surgimento de tudo. Por se tratar de um livro bem humorado, cada conto (ou capítulo se preferirem) é acompanhado por um parágrafo de teor científico que aborda o que virá ser a história, esta que acaba por ignorar a explicação áspera para dar uma abordagem mágica e surreal à história que se passa.

Ítalo Calvino nasceu em Cuba, mas, logo após o seu nascimento, retornou com a sua família para a Itália. Formado na faculdade de Letras, participou da resistência ao fascismo durante a guerra e foi membro do Partido Comunista até 1956. Calvino, renomado jornalista e escritor de contos, ficou marcado na literatura internacional após ter escrito os livros As Cosmicômicas, Cidades Invisíveis e Se um Viajante Numa Noite de Inverno.

Ao longo do tempo muitos estudiosos tentaram classificar o estilo de Ítalo Calvino, o que abrangeu desde conto de fadas até o termo realismo fantástico; o único fato é que suas obras expressam de modo amplo o sentimento do que é o pós-modernismo. O experimental As Cosmicômicas não foge desse sentimento, possuindo histórias divertidas, mas com idéias simbólicas bem subjetivas. Os leitores, mesmo sem nunca terem lido outra obra de Ítalo Calvino, poderão rapidamente captar a profundidade dos contos; contos que são reflexos dos problemas sociais ou pessoais dos dias atuais. Vale dizer que um dos que inspiraram esse grande escritor contemporâneo foi Jorge Luis Borges, o qual eu falarei sobre seu livro Ficções em breve.

3 comentários:

Michelle Müller disse...

Báh eu não conhecia este livro do Ítalo Calvino... já vou garimpar um exemplar pra mim... fiquei com muiiiiiiiita vontade de ler depois do teu texto...
Acho que nunca tinha comentado por aqui então aproveitando pra dizer que o blog é tri show!! Adoro!

Willian Sertório disse...

Droga , gostava mais quando você só falava de monstrinhos ò_ó. Senti ciúmes , pare de roubar "meus" autores! _|_

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.