quarta-feira, 11 de junho de 2008

O Guia do Mochileiro das Galáxias

Não entre em pânico! Hoje o Falando de Fantasia fará mais uma exceção para contar-lhes um pouco sobre essa obra de ficção científica; hoje vou comentar sobre esse livro que comprei nesse Sábado, mas que terminei em dois dias de tanta ansiedade pelo final. Todos já devem conhecê-lo, mas é sempre bom dar ênfase nessas obras marcantes.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é excêntrico. Acho que esse é o adjetivo mais do que adequado para uma obra que mistura um humor ácido, e requentado de piadas nerds, com ficção científica. A criação do comediante britânico Douglas Adams, famoso por escrever esquetes para a série de humor nonsense Monty Python's Flying Circus, começou no ano de 1978, mas não na forma convencional de um livro, mas sim como uma série radiofônica transmitida pela Radio 4. O estrondoso sucesso alcançado por Douglas fez com que ele tivesse a oportunidade de adaptar seus roteiros de rádio para uma série composta de cinco livros. Todos os livros foram publicados aqui no Brasil pela editora Sextante e são facilmente encontrados em qualquer livraria (e o melhor, são encontrados por um preço cabível ao consumidor).

A história conta sobre as desventuras passadas por Arthur Dent, um anti-herói que vê o planeta ser destruído após descobrir que seu amigo, Ford Prefect, é na verdade um alienígena! Ford Prefect, que passara 15 anos exilado no planeta Terra se passando por ator desempregado, fazia uma pesquisa de campo para a nova edição d'O Guia do Mochileiro das Galáxias, uma enciclopédia que possibilitaria qualquer mochileiro ver as maravilhas do Universo por apenas 30 dólares altairenses. Uma trama que no início pode se passar por simplória começa a se tornar improvável a cada página. Aliás, improvável é um adjetivo que se encaixa fácil em várias cenas do livro; desde a nave Coração-de-Ouro e seu motor baseado no Gerador de Improbabilidade Infinita até a sucessão de ações que levam nosso pouco querido Arthur Dent a discutir com ratos e a aturar um robô maníaco-depressivo.

Douglas Adams ainda pôde nos presentear com uma adaptação cinematográfica desse primeiro livro. Infelizmente o autor morreu em 2001, vítima de um ataque cardíaco. O humor sarcástico de Douglas e toda sua imaginação ao criar uma das mais ilustres séries de ficção científica cativou vários fãs espalhados pelo mundo, por isso em sua homenagem foi criado o Dia da Toalha. Comemorado no dia 25 de Maio, todos os fãs da saga de Arthur Dent devem carregar durante o dia inteiro uma toalha, peça fundamental para todos que querem se tornar legítimos mochileiros das galáxias! Infelizmente eu não pude participar esse ano, por minha falta de tempo, mas quem sabe no próximo. Alguns sites como o Jovem Nerd prestaram a gentileza de hospedar as fotos dos fãs brasileiros devidamente equipados. Um artigo completíssimo sobre Douglas Adams pode ser encontrado no Wikipédia (em inglês) e no seu site oficial.

Espero que eu tenha deixado os leigos com curiosidade. Essa é mais uma daquelas obras que você têm de ler antes de morrer. Até mais pessoal e continuem comentando! 42!

8 comentários:

lotto 649 numbers disse...

The owner of this blog has a strong personality because it reflects to the blog that he/she made.

Nibelung disse...

Dois dias? Eu li em um. Durante a minha viagem pro D&D Game Day, tinha que ficar fazendo algo durante a curta viagem de seis horas de busão.

Assino embaixo de tudo que foi dito. O livro é maravilhoso, e mal posso esperar pra conseguir ler os outros. Fazia tempo que eu não lia um humor idiota BOM.

Phil Souza disse...

Li todos os livros. Alguns são mais fracos que os outros, mas todos possuem seu charme, a cara que só adam douglas consegue dar a seus livros. Não esqueça de citar que ele é arduo defensor da causa dos naimasi em estinção! Eles tentou escalar o kalimajaro com uma roupa de rinoceronte!

Anônimo disse...

Seu blog está muito muito bom!
Recomendo apenas que vc adicione um RSS para ficar bem mais simples de visitarmos

Parabens pelo ótimo trabalho!!

Roberto Colombo disse...

Há uns anos eu vi o filme,e adorei!
Agora você me instigou a comprar o livro!
^^
Abraço!

Ewaldy Marengo disse...

Opa. Mais um convertido para o Guia =D.

E parabéns por ter disponibilizado o feed completo (já tinha te cobrado isso uma vez, lembra?).

E adorei como o Gerador de Improbabilidade Infinita (grande e em negrito) ficou logo ao lado do banner do Gerador de Improbabilidade Infinita ;) foi de propósito ou acidental?

Abraços e estou gostando cada vez mais do Falando de Fantasia.

Maranganha disse...

Um amigo meu tem uma banda de Blues que brinca com as idéias de Douglas Adams:

http://www.myspace.com/thedentcosmicbluesband

Juliana Dacoregio disse...

O Guia do Mochileiro é demais! Eu também li bem rápido. Difícil de largar. Meu namorado tem todos os livros da série.